Quebrando o Silêncio

Este final de semana aconteceu em toda a América Latina a campanha educacional “QUEBRANDO O SILÊNCIO”, realizada anualmente pela igreja Adventista do Sétimo Dia.

Na sexta-feira, adolescentes de todas as escolas Adventistas saíram pelas ruas das grandes cidades carregando faixas  contra a violência doméstica. Eles estavam caracterizados como vítimas em prol do manifesto.

Já no sábado, todas as igrejas tivcram a programação voltada a esse grande problema que atinge muitos lares brasileiros, infelizmente.

De acordo com a revista Sinais dos Tempos, edição especial 2010, no Brasil as crianças são vítimas em 69% dos casos de abuso sexual, sendo que os agressores muitas vezes são padrastos ou os próprios pais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a violência responde por aproximadamente 7% de todas as mortes de mulheres  entre 15 e 44 anos, em todo o mundo. Em alguns países, até 69% das mulheres relatam terem sido agredidas fisicamente e até 47% declaram que sua primeira relação sexual foi forçada.

Alcoolismo, estresse na família , desemprego e problemas econômicos são geralmente o estopim da violência doméstica.

A pesquisa realizada pela Sociedade Mundial de Vitimologia contatou que 23% das mulheres brasileiras estão sujeitas à violência doméstica. O número foi averiguado a partir da pesquisa de violêcia doméstica em 138 mil mulheres de 54 países. Dos países pesquisados, o Brasil é o país que mais sofre com a violência doméstica.

Mas tamanha violência não acaba por aí não. Os idosos também sofrem aos cuidados de gente sem preparo e da rejeição familiar.

Muitas mulheres sofrem o “abuso silencioso”, o abuso emocional que é tão destruidor, ou mais, que o físico.

O “bullyng” também é um grande problema que vem crescendo nas escolas, o que antes predominava apenas ataques adolescentes, já se tem exemplos de bullyng com crianças de oito anos de idade.

E por aí vai uma imensa lista de violência, e muitas vezes acontecem aos nossos olhos, mas nos omitimos, pois não é “nosso problema”.

Vamos QUEBRAR O SILÊNCIO, e denunciar qualquer tipo de violência.

DISQUE DENÚNCIA: 100
o número é mantido pela Secretaria dos direitos Humanos do Governo Federal. Sigilo absoluto.

DISQUE 190
Em casos que a ação deve ser imediata, chame a polícia.

Não deixe que ninguém a maltrate, somos cidadãos com direito a uma vida familiar alegre e feliz. Quando a voz ficar mais alta ou a mão levantar numa discussão, PARE imediatamente  e se valorize, se respeite, converse….e se nada adiantar no diálogo, DENUNCIE!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s